Luna Lupus: Homenagem.

domingo, 24 de março de 2013

Homenagem.

Oiii Criaturas das Trevas!
Tudo bem com vocês?



Bem, como blogue pessoal, não acho que faria qualquer sentido não colocar uma homenagem á minha pequena "Lília". A minha eterna pequenina que me marcou e que nunca esquecerei. A minha princesa lutadora que partiu em 2009:



Ela podia não ser um cão, nem um gato, nem mesmo um cavalo. Podia nem saber truques nenhuns. Ela podia não ser uma coelha de raça, nem ser daqueles pequeninos peludos que todo o mundo acha irresistível.  Mas ela era a minha Lília, a minha princesa, a minha paixão, a minha pequena gigante.
Ela era uma melhor amiga, um membro da família. Foi o primeiro e o último dos meus animais de estimação que viveu toda a sua vida dentro de casa.
Conseguia sempre por-me a rir de alguma forma: ou com algumas das imensas asneiras que fazia ou com cocegas com os bigodes.
E bem, sabem aquela desculpa? Esta: "O cão comeu-me o trabalho de casa!" por vezes eu dizia algo do género: "A coelha comeu-me o trabalho de casa" óbvio que ninguém acreditava, que diziam que era uma desculpa muito usada, mas a verdade é que era verdade. A minha pequena comeu-me os trabalhos da escola algumas vezes. Pegava neles e desatava a correr pela casa fora, comigo atrás dela e depois escondia-se num canto e adeus trabalho de casa. Ela roeu papeis importantes, trabalhos da escola, fios eléctricos  até mesmo as paredes da casa! Mas o castigo nunca passava de um sermão e as zangas com ela nunca ultrapassavam um hora, depois, lá estávamos nós a fazer festas na princesa Lilia. Só houve um dia em que o meu pai se fartou das asneiras e a pôs no jardim das traseiras com uma cama e as tigelas da comida e da água e ela ficou completamente deprimida. Ficou lá um dia. Não aguentámos mais vê-la na rua, triste e trouxe-mo-la para casa, mais uma vez.
Um dia, a Lilia foi picada por um mosquito. Já tinha sido picada antes e nunca nada lhe aconteceu, por isso, achámos que seria mais uma picadela sem efeito. Mas as coisas não correram como nós esperávamos. O nariz dela começou a inchar, ela deixou de comer, ficou com dificuldade em respirar. Ia quase todos os dias para o veterinário. Gastámos montes de dinheiro em tratamento mas nada foi suficiente.
Semanas depois eu estava na escola, na aula de música a tocar o tema do filme "Titanic" na flauta (odiava a música mas era obrigada a toca-la) e foi nesse momento que senti que algo não estava bem. Cheguei a casa e perguntei á minha mãe: "Mãe, a Lilia está melhor?" e a resposta deixou-me primeiro num choque profundo e depois desfiz-me em lágrimas. "Já não existe Lilia" foi a resposta dela.
Jurei nunca mais ouvir o tema do Titanic. Chorei por dias, sem suportar a ausência dela. Sem ela, a casa estava vazia, demasiado vazia, e não queria mais nenhum coelho.
A dor foi ficando cada vez mais suportável mas continuará sempre presente. A memória dela traz-me sorrisos e lágrimas ainda hoje e ela continua viva no meu coração.
Agora o que direi para muitos será um sintoma de loucura, pra mim é uma prova de que ela continua por aqui, não sei ao certo se é apenas fruto da imaginação de quem aqui vive porque não sou só eu que ouço mas, ás vezes á noite, cá em casa ouvem-se patas a correr pelo chão da casa. Isso reconforta-me. A minha menina partiu mas continua connosco. Foi-lhe diagnosticada uma semana de vida e ela viveu um mês. Ela é o meu orgulho. Amo-te princesa.





Este post é dedicado á minha lutadora, Lilia que me trouxe alegria durante cinco anos, dos melhores da minha vida.


(A música "Hello" dos Evanescence, escrita pela Amy Lee para a sua irmã que morreu faz-me sempre lembrar do último dia de vida da minha menina).
Continuem a Assombrar e peço desculpa pelo aborrecimento.


8 comentários:

  1. Oliver Wendell Holmes escreveu um verso de um poema que começava assim: "Where we love is home; Home that our feet may leave but not our heart." [Onde amamos é lar. Lar que os nós pés podem deixar, mas não o nossos corações.]

    ResponderEliminar
  2. Eu chorei lendo isso,pois tive uma porquinha da índia que amava muito. Ela por vezes fazia o mesmo que sua Lilia,comia meus trabalhos e minhas pulseiras,corria,fugia pela casa. Todas as manhãs eu deitava com ela sobre mim e ficava brincando,ou olhando pelo barulhinho que ela fazia com os dentes. Eu cuidava dela,dava até banho,tinha todos os cuidados. Até que uma manhã fria ela estava estranha,e eu notei que seria meu último dia com ela..não sei como mas eu sabia. Então tirei ela da sua casinha e deitei-me com ela,fiz carinho..até conversei (mania de falar com os animais).. passei o dia com ela e não desgrudei..por que dentro de mim eu sabia,ela estava deprimida e ninguém sabia o que era,veterinário dizia que ela estava bem.. bom meu dia foi em torno dela,chegou á noite e eu continuei com ela,não á deixei.. passei a noite acordada cuidando ela..fui pra escola com medo de voltar e saber que algo tinha acontecido sem minha presença. Quando voltei tive uns 20 minutos com ela,fui comprar a comida e quando voltei estava morta.. chorei tanto. E agora que li isso..eu me lembrei que tive também minha menina,que para muitos era um animal sem útilidades,me diziam que um cachorro seria melhor.. mas sabe..ela foi melhor que muito animal por ai,foi a que eu amei e a que eu cuidei. Assim como sua lilia ela foi especial e sempre vai ser lembrada.
    Não sei o motivo da morte da minha garota..mas sei que durante todo o tempo que ela esteve comigo não ouve um dia em que eu não estive á mimando,á cuidando,á amando..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lamento pela sua porquinha da india, também já tive uma, mas tenho nove gatos e como pode imaginar o resultado foi trágico.

      Tenho uma quinta, e tenho montes de animais mas a Lilia será sempre especial. Claro que o menino dos meus olhos atualmente é o meu cão pastor alemão, o Oscar. Amo todos os meus animais, amo mesmo muito, acho que gosto mais de animais do que grande parte das pessoas que conheço. Eles nos amam e nos compreendem sem ligar pra aparência, as pessoas não.

      Eliminar
    2. Eu considero animais melhores que humanos/pessoas. Eles não nos julgam,não ligam para o nosso cabelo,nossa roupa,nossas manias,gostos.. eles não mentem,não te trazem problemas,não traem,não enganam..são fiéis,carinhosos e mesmo que as vezes você dê alguma bronca eles estão sempre ali contigo. As pessoas são totalmente ao contrário,te julgam,te mentem,te machucam..e machucam á eles mesmos..pois no fundo eles sabem que são fracassados e que necessitam machucar os demais para se sentirem bem e superiores. Uma pessoa machucar a outra é um castigo para ela própria,machuca para tentar descontar a dor que sente nos outros.. Dou mais valor aos animais do que pessoas. Por isso odeio quando vejo alguém maltratando um animal,ou abandonando..

      Eliminar
    3. Verdade, eu também sou assim. =)

      Eliminar
  3. Eu viciei a partir do primeiro xD mas continuando; ela é uma grande porca xD

    ResponderEliminar
  4. Ela era muito linda e com certeza muito amada por ter uma dona tão maravilhosa como você!
    Beijoos

    http://imperio-adolescente.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar